segunda-feira, 25 de maio de 2009

TRANSGRESSORA





Sou das fragâncias fortes,


dos impulsos inconsequêntes,


de selvagens instintos,


de amores eloquentes!


Sou a dúvida que me paira!


O vaso que não se quebra...


Sou o sangue que corre nas veias...


Sou pedra!


Sou a vida presa em meu corpo!


Sou alma!


Trangressora do destino que carimba


as linhas da minha palma!




(Mell Glitter)

2 comentários:

O Profeta disse...

Nasceu!
Nascem a todo o instante
Os sentires vindos da alma
Tatuados a cada semblante

Um beijo na tua procura
Um abraço fica suspenso
Um sorriso desponta da tristeza
Um olhar prende o momento


Bom fim de semana



Doce beijo

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga! Estava passando, assim como quem não quer nada, quando avistei teu espaço, invadi, gostei e não resisti em te dizer que adorei o poema, muito profundo.

Beijos,

Furtado.